Como construir uma marca pessoal poderosa como Freelancer

Branding é um conceito muito incompreendido, principalmente por freelancers.

Alguns profissionais o simplificam de forma demasiada a ponto de usar o seu logo em tudo e pensar que isso é branding (muitas vezes esse logo também não tem nada a ver com a personalidade do profissional). Outros freelancers são desestimulados por pensarem que os grandes players da sua área de atuação inviabilizam suas formas de trabalhar, o que não é verdade.

Na verdade branding engloba todos os aspectos referentes à personalidade de uma marca, incluindo também seu logo, a maneira que fala com os clientes e é percebida pelo público. Branding não é apenas para as grandes marcas. Mas sim para todos os negócios e de qualquer tamanho. Incluindo freelancers que querem crescer sua renda e criar uma marca poderosa em redor da sua pessoa.

Você também pode se interessar por:
TOP 10: os erros mais comuns entre freelancers iniciantes

A importancia do branding pessoal para freelancers.

Um bom branding faz com que qualquer negócio seja memorável. Freelancers talentosos podem se beneficiar com isso fazendo com que clientes criem memórias sobre eles, diferente de como faz a maioria. Existem muitos designers qualificados, fotógrafos e redatores que se chamam de freelancers hoje em dia, então você precisa estabelecer uma linguagem única, a fim de se destacar.

a importancia do branding para freelancers

Se você está começando agora nessa carreira de freelancer, ou até mesmo se já é um profissional com um bom tempo de estrada, aqui estão algumas dicas para a construção de uma marca memorável e como você pode colocá-las em pratica ainda hoje.

Sua personalidade é sua marca.

O primeiro passo no processo é definir a personalidade única de sua marca. Isso vale para todas as empresas, mas quando você é um freelancer, adivinhe quem é a personalidade que você começa a usar? Isso mesmo, é uma das raras ocasiões em que seu negócio pode ser descaradamente tudo sobre você. Afinal, você é a marca. Apresentar uma falsa frente para o mundo seria antinatural, e, finalmente, muito difícil continuar.

Aqui está um rápido processo para definir a personalidade que sua marca vai adotar. Em um pedaço de papel, anote três adjetivos positivos que:

  • O que você pensa que te descreve.
  • Como você quer que seus clientes te descrevam.

Só porque você acha que essas palavras descrevem você, não significa que outras pessoas concordem com isso. Uma boa ideia é reunir alguns de seus amigos mais próximos dos quais você pode confiar, assim você conseguirá viabilizar a construção de uma marca honesta. Peça-lhes para fazer a mesma atividade, dando-lhe três adjetivos descritivos com base na marca pessoal que descreve o seu negócio como freelancer.

Naming para freelancers

Depois disso, mostre a eles as suas palavras, compare, e veja se eles concordam com você. Se eles também usaram palavras semelhantes para descrever sua marca pessoal,  você já está no caminho certo. Se não, é hora de dar uma analisada na imagem que você está passando atualmente e procurar feedbacks externos para que você consiga se alinhar com os seus três adjetivos desejados. Afinal, essas três palavras serão fundamentais na determinação de todos os seus esforços pessoais na construção de uma marca forte, por isso é importante obtê-las corretamente.

Seu Nome vs. Nome da Empresa

A próxima grande decisão que você precisa fazer é o nome da sua empresa.

Muito profissionais freelancers optam por apenas usar seus nomes como marca, é muito comum ver algo tipo “Daniel Fotografias” ou “Daniel p h o t o g r a p h y” (por que isso é tão comum?). Outros pensam que usar um nome diferente do seu é mais vantajoso, e realmente é. Com um foco mais a longo prazo, existem diversas razoes para usar um nome de empresa.

  1. Se você tem um nome comum.
  2. Se você imaginar-se expandir o negócio em uma equipe.

Ter um nome comum como uma marca pode trazer uma série de desvantagens. Imagine a dor de cabeça na hora de comprar um domínio para o seu site, e-mail e user nas redes sociais? E se as pessoas pesquisassem o “seu nome comum” no Google, será que você teria chance de se posicionar na primeira página? Caso você tenha um nome não comum, você pode pensar em seguir esse caminho, mas caso ao contrario, comece a pensar em um nome de marca agora mesmo.

Agora imagine que você obtenha bastante sucesso e sua empresa cresça rapidamente, todos os colaboradores vão ter que atender também pelo seu nome? Fica até deselegante -e um tanto quanto confuso- quando sua empresa chama Debora Design e você manda “Thiago” para uma reunião.

Branding para freelancers - como escolher um nome para sua marca

Então caso você tenha uma perspectiva de crescimento no futuro, faz muito mais sentido começar desde agora como uma marca com um nome próprio. É bom que você decida isso agora, porque mudar de ideia no meio do caminho pode trazer complicações e pensar um novo nome demanda todo o trabalho ao redor da marca como se ela fosse realmente nova.

O funil de escrita (presença na WEB)

Boa parte do processo de se tornar um freelancer altamente remunerado é ter uma presença na web impressionante que faz com que pessoas estejam vendo e comprando seus serviços o tempo todo. Isso porque boa parte dos seus clientes em potencial irão perceber sua presença on-line muito antes mesmo de terem visto ou encontrado com você. As palavras-chave que você escolher trarão um grande impacto na ligação entre você e seu cliente.

Se você pensar que precisa escrever no seu site, confeccionar conteúdo para redes sociais e tudo mais, pode parecer bastante coisa. E na verdade é, não pense que você irá conseguir chegar aonde deseja pegando atalhos não comprovados ou ditos como milagrosos, é preciso trabalhar duro.

Assine a nossa newsletter

Mas apesar disso existem técnicas e ordens de trabalho que podem ajudar você a criar um conteúdo mais duradouro e consistente. Pense nisso como um funil aonde você escreve TUDO o que deseja mostrar e depois fragmenta esse conteúdo para diferentes fins. Vamos lá.

Tudo começa com um “Sobre mim”

  1. Esse material deve estar disponível naquela guia do seu site, comece a escrever com base nos seus três adjetivos que você guardou no papelzinho. Faça com que isso não seja apenas um monte de letras formando um texto, mas sim que seja uma ótima combinação de palavras que resultem em uma história envolvente. Conte para seus clientes quem você é e como você pode salvar o negócio ou a vida deles.
  2. Afunile esse texto que você escreveu para o seu “sobre” para no máximo 100 palavras para que possam ser usadas no seu LinkedIn, por exemplo. Sempre mantendo o foco em salvar a vida do cliente, mantenha nos seus textos as palavras que irão deixar isso claro.
  3. Em seguida afunile mais para que esse conceito possa ser usado também na bio do seu Instagram e do seu Facebook.
  4. Agora afunile ainda mais as principais qualidades que farão com que seu cliente se encante, separe esse pequeno trecho de texto a fim de confeccionar seu slogan. Esse textinho pode ser um dos primeiros contatos que seu cliente tem com a sua marca, então lembre-se de ser super sucinto, nada muito longo ou de difícil compreensão.

Dica: mantenha todas essas declarações de marca pessoal descritivas em um único documento, em uma pasta na nuvem com um atalho na sua área de trabalho. No início, você vai querer voltar a estas descrições muitas vezes como uma fonte de inspiração para o estilo de escrita e diretrizes gerais como você expandir para fora e publicar conteúdo na internet.

Você também pode se interessar por: 
Serviços de armazenamento em nuvem: qual o melhor em sua versão gratuita?

O seu logo.

Agora vem a parte divertida. A maioria das pessoas começam a idéia de que branding é desenhar um logo. Mas como você mesmo sabe ou percebeu ao longo desse post, criar o logo é apenas uma das muitas etapas da construção de uma marca forte e de sucesso.

Branding para freelancers - como montar seu logo

Você sempre deve começar com seus três adjetivos. Seu logotipo deve ser uma interpretação visual da sua personalidade, por isso é muito importante usar seu papelzinho nesta fase. É importante tentar fazer um logo que transpareça seus valores aos seus clientes logo a primeira vista. É preciso entender que se você possui características sérias, seu logo será extremamente diferente de outras marcas que possuem características brincalhonas ou afins, é muito importante realizar pesquisas e estudar isso com bastante paciência.

Tenha em mente que essa tarefa não é fácil, faça testes com seus possíveis clientes, se aquilo que você está criando significa algo para eles, você está indo no caminho certo.

Você pode ser um profissional de design e criar seu próprio logo, mas caso você não seja um, considere contratar alguém especializado para isso, caso você tenha condições financeiras.

Seja sua marca.

O passo final em sua marca pessoal como freelancer é uma constante. A partir de hoje, você tem que ser sua marca. Uma vez que a sua marca é baseada no que o torna único, isso nunca deve ser um problema.

No final do dia, você é quem está no comando da sua marca. Tome consciência de cada interação com cada cliente e uso isso a seu favor, a fim de manter uma marca consistente.

Você também pode se interessar por:

Conclusão

Como qualquer freelancer criativo sabe, trabalhar em seus próprios projetos pode ser o mais esgotante. Mas com os passos que abordamos aqui, você deve ser capaz de avaliar a sua situação e aplicar estes princípios de marca para tornar o seu negócio memorável dentro do seu segmento.

Gostou das dicas? Já realizou esse processo com você mesmo? Conta pra gente nos comentários! E não se esqueça de se inscrever na nossa newsletter segmentada para receber mais conteúdos como esse.

Assine a nossa newsletter

Comentários

comentários

Enviado por Daniel Henrique

Publicitário pela Universidade Regional de Blumenau. Coordenador de conteúdo na Spitze Network.