Por que ter personalidade é essencial para ter sucesso como freelancer?

Por toda a internet, conseguimos facilmente enxergar pessoas falando sobre todas as vantagens de ser freelancer e como você deve agir, se vestir e como deve ser comportar. Quando alguém opta por largar seu emprego fixo para ser freelancer em tempo integral, algumas verdades já estão bem esclarecidas no seu modo de pensar. Naturalmente, você sabe que:

  • Você pode trabalhar aonde quiser, desde que suas ferramentas de trabalho estejam ao seu alcance;
  • Não há um limite de salário, quanto mais você trabalhar mais irá ganhar;
  • Não há garantia de salário;
  • Autonomia para dizer não para projetos que você não gostaria de fazer parte.

Mas há uma coisa que passa despercebida na maioria dos conselhos que a maioria dos blog’s oferece.

O que faz com que os clientes gostem de trabalhar com você?

Caso você ainda não tenha percebido, uma série de variáveis fez com que muitas pessoas abraçassem vários JOB’s como freelancers. Parte delas são pessoas que realmente acreditam e gostam de trabalhar dessa forma, outra parcela é feita de pessoas que foram demitidas e encontram-se em situação de desemprego e aceitam até JOB’s para os quais não são qualificados, a outra parcela é feita de pessoas que possuem um emprego fixo com baixo salário e acabam fazendo uns freelas para aumentar a sua renda mensal.

Todo essa quantidade de diversos “profissionais” pode ter causado uma certa desconfiança para as empresas contratantes, certo? Certo.

A internet está cheia de pessoas desesperadas por dinheiro que a todo momento tentam vender soluções perfeitas a um preço menor do que o normal. O fato é que, pela falta de experiência, algumas empresas ou empresários acabam comprando o trabalho de pessoas que estão vendendo algo do qual não possuem propriedade.

Você também pode se interessar por:

Dificuldades de comunicação.

Na esperança de parecem muito sábios, parte desses freelancers acaba usando palavras que jamais usariam pessoalmente enquanto trocam e-mails de negociações. Até mesmo em grupos de Facebook, os mais “espertinhos” usam termos super refinados, e até mesmo usam “nós fizemos” sendo que trabalham sozinhos, será que eles querem parecer corporações?

Por muitas vezes, parecem um monte de robôs conversando.

Agora deixa eu te contar uma coisa: ser profissional não é usar palavras chiques e encher lingüiça na hora de vender seu trabalho. Antes de tudo, lembre-se de que você está falando com uma pessoa que possui um problema, quanto mais tempo você demorar para mostrar para ela que você é capaz de resolver aquilo, menos chances de conseguir o JOB você tem.

Então, logo na primeira conversa, deixe claro para o cliente se você consegue ou não resolver o problema dele dentro do espaço de tempo em que ele necessita. Caso você consiga, ótimo, pegou o JOB! Caso não consiga, existem outros profissionais que já estão preparados para isso, não seja egoísta, outros JOB’s virão.

Os clientes não estão buscando por profissionais perfeitos (!)

Como dito há alguns parágrafos, muitas vezes, parecem que estamos conversando entre robôs. Mas lembre-se de que seu contratante é um ser humano, seja um também. Seja compreensivo e evite ser técnico. Afinal, algumas coisas nunca irão fazer sentido para seu cliente caso ele não tenha a mesma formação que a sua.

Sendo assim, é importante que você tenha capacidade de se adaptar a realidade do cliente e consiga resolver o problema.

Como mostrar que você não é simplesmente um operário fazedor de coisas?

Personalize seu site: abra o máximo de sites que você conseguir que pertencem a freelancers. Quase todos são iguais, parecem até um template que só foi editado com JOB’s diferentes. Até mesmo a parte “sobre mim” é parecida, algo do tipo “Me chamo João, designer pleno… realizo tais trabalhos… vamos fazer um orçamento?”. Realmente escreva sobre você, coloque alguns fatos, coisas que marcaram sua carreira, seja expressivo. A parte técnica você deixa no seu CV. Coloque uma foto sua que não seja uma super produção fotográfica (e recente), afinal se vocês fizerem uma reunião por Skype ou pessoalmente, não haverá reconhecimento.

Seja você em todos os lugares: se você é João no seu Facebook pessoal, você deve continuar sendo João na sua página, se até os programadores se esforçam para fazer com que assistentes virtuais tenham uma posição mais humana, não é obvio que você também precisa ser assim para que todos sintam-se confortáveis? Você é um freelancer, você trabalha sozinho, seu cliente sabe disso, não tente parecer outra coisa.

Não tenha medo de construir relacionamento com seus clientes: quando você se torna um parceiro do seu cliente, é muito mais fácil de que ele volte a contratar você e até mesmo recomenda-lo para seus outros amigos. Pode apostar, isso sempre rende bons frutos.

Conclusão:

Espero que com esse texto, fique claro o quão importante é ter personalidade para garantir seu sucesso como freelancer. Mantenha um relacionamento com seu cliente, faça as mudanças necessárias na sua comunicação tornando tudo mais objetivo e humano.

E não esqueça de assinar a nossa newsletter com conteúdos especialmente selecionados. Assine agora, é rápido!

Assine nossa newsletter

Comentários

comentários

Enviado por Daniel Henrique

Publicitário pela Universidade Regional de Blumenau. Coordenador de conteúdo na Spitze Network.