TOP 10: os erros mais comuns entre freelancers iniciantes

No começo de qualquer carreira, tudo pode parecer muito complicado. As decisões da fase inicial são muito influentes no decorrer da sua caminhada. Pensando nisso, criamos um TOP 10 com os erros mais comuns entre freelancers iniciantes e possíveis soluções para que você não passe por elas, ou se estiver passando, que saia o quanto antes. Vamos lá:

1. Não confiar no seu instinto.

Quando um projeto ou uma reunião com um cliente desperta algo em você, simplesmente vá. Às vezes pensamos tanto em uma proposta que ela parece parar de valer à pena, mas na verdade, encontrar a proposta perfeita pode ser muito difícil. Mas com o tempo você irá aprender a confiar mais no seu instinto e resolver essas coisas de forma muito mais rápida. É claro que o acordo não precisa ser fechado na hora, mas no sue interior, você conseguirá equilibrar suas decisões.

2. Não ser fiel a si mesmo e aos seus talentos.

Algo que podemos ver no mercado com facilidade são os profissionais que são TUDO. Exemplo:

-Você ilustra?
-Ilustro.
-Confecciona textos?
-Sim.
-Faz manutenção de Mac e Windows?
-Claro
-Escreve jingles e cantigas infantis?
-Lógico!

O exemplo ficou um pouco tosco, mas dá pra entender. O mercado está cheio de profissionais que são de tudo um pouco. Por mais que a crise cause essa impressão de que os profissionais precisem se adequar às novas demandas e isso resolva o problema de forma imediatista, essa não é uma solução a longo prazo. Confie no seu talento, seja muito de uma coisa só.

3. Vive na terra em tempos de nuvens.

Com que freqüência você faz backup dos seus arquivos? Perder horas ou dias de trabalho por falta de atenção pode ser uma coisa horrível. Quando você trabalha de forma autônoma, cuidar dos seus dados é uma tarefa inteiramente sua.

Você não precisa ter um servidor caríssimo instalado para fazer backup dos seus arquivos. Hoje em dia podemos contar com tecnologias como: Dropbox, Google Drive e OneDrive para manter os arquivos sincronizados em tempo real e acessíveis de qualquer lugar aonde haja conexão com a internet.

4. Trabalhar com negócios que não tem nada a ver com você.

Quando você se lança no mercado, um dos seus primeiros objetivos é conseguir um job. Então você se dá conta de que precisa acumular experiência e ao mesmo tempo precisa ganhar dinheiro para se manter, com tudo isso, você não pode ser muito exigente nas escolhas dos jobs.

Nas primeiras vezes, quando você ainda não tem nenhuma reserva, atitudes como essa podem ser necessárias. Mas ao longo do tempo, passam a ser prejudiciais. Como freelancer, é bom que você consiga ter um panorama sobre todos os mercados para conseguir no mínimo dialogar com os clientes em potencial. Mas quanto mais cedo você conseguir classificar o que realmente quer e conseguir dizer não ao que não te faz crescer, melhor será sua motivação para trabalhar e seus resultados.

Você também pode se interessar por:

5. Não manter uma reserva para emergências.

Se você em paralelo aos freelas possui um emprego fixo, esse agravante se torna um pouco menor, porque você tem a garantia de receber todo mês um salário ok. Mas quando você vive apenas dos freelas, esse cenário não é tão garantido. Então a dica é deixar um pouco sempre guardado. Gaste com o que for necessário, se você precisa de um bom computador para trabalhar, compre um bom computador e isso resolverá seus problemas por um bom tempo.

Evite parcelar compras no cartão de credito, como todo mundo sabe, as dividas de cartão de crédito podem ter um efeito bola de neve horrível se você não acompanhar seus gastos com uma tabela ou um aplicativo.

6. Se vender como “nós”.

Pode soar mais profissional o uso do nós, porque remete à uma equipe, várias pessoas executando diferentes tarefas e tudo mais. Mas o fato é que isso pode confundir o cliente, porque ele vai pensar exatamente dessa forma.

Então se você trabalha sozinho, se venda como “eu” e não como “nós”. Nada é melhor do que ser verdadeiro com seus clientes. E se eles procuram uma equipe inteira ao invés de um só profissional, voltamos ao tópico em que esse negocio não tem nada a ver com você.

7. Começar a trabalhar antes de assinar o contrato.

Não importa se o job é diagramar uma revista inteira ou ficar na recepção de um evento durante 30 minutos. É necessário que se faça um contrato aonde o seu trabalho em questão esteja declarado e uma lista de entregas esteja presente. Também é necessário que o preço do freela também já esteja acertado nesse documento. Afinal, de que outra forma você e seu cliente entrariam em um consenso na hora de fazer o pagamento/recebimento?

No começo pode ser um pouco difícil pedir para que os clientes assinem os contratos, mas se ele é um cliente justo, não verá problema. Mas caso ele implique com esse procedimento tão simples, é porque ele certamente não seria um bom cliente.

8. Apenas faz seu trabalho, mas não cria significados reais.

Pergunte aos seus clientes passadas quais as chances de eles voltarem a trabalhar com você. Alguns diriam que o motivo é porque você fez um bom trabalho, outros diriam que é porque você foi pontual e etc. Mas vamos combinar que isso é o mínimo. Isso não faz com que um cliente tenha você sempre pronto na memória ao ouvir falar de tal assunto, tampouco faz com que ele te recomende para outros negócios.

Vivemos em uma época em que as pessoas estão acostumadas com o atendimento ruim. Use isso a seu favor. Preste um excelente atendimento, ofereça mais soluções para o cliente que ele ainda nem tenha percebido. E quando contratado -por vontade sua- entregue mais do que foi acordado.

9. Cobrar muito ou cobrar menos que o suficiente.

Cobrar muito no começo é certamente um tiro no pé. Cobrar menos que o suficiente pode ser um tiro no peito. Mas como resolver isso? Vamos lá. Uma boa maneira para equilibrar seu preço é fazendo uma pesquisa de mercado. Se você é redator, pesquise a média do mercado sobre quanto um redator cobra para fazer um texto de até X palavras. Compare o nível do seu trabalho e seu nível de experiência com o dele e ajuste seu preço dessa maneira. Ao longo do tempo, com mais experiência e com um portfolio mais rico, você irá conseguir aumentar seu preço de maneira natural.

10. Não gerencia o tempo gasto com o trabalho – e nem com nada.

É preciso que você crie padrões de tempo com base no seu “melhor tempo de trabalho”. Descubra uma programação que funcione pra você. Estude e experimente diferentes métodos de organização de tempo. Algumas pessoas são mais produtivas à noite, outras pela manhã, descobrir isso irá te ajudar a otimizar seu tempo.

Conclusão

Levando em consideração todas essas dicas para solucionar esses possíveis erros, você conseguirá começar sua carreira como freelancer com alguns passos a frente dos concorrentes. Por isso é muito importante analisar seu comportamento e o cenário no qual atua.

Gostou das dicas? Deixe sua opinião nos comentário! E não esqueça de assinar nossa newsletter para receber conteúdo selecionado semanalmente:

Assine a nossa newsletter

Comentários

comentários

Enviado por Daniel Henrique

Publicitário pela Universidade Regional de Blumenau. Coordenador de conteúdo na Spitze Network.