Storytelling: seja uma marca que -faz- e conta histórias

Nos primórdios da comunicação, levar a informação de forma dura e escrachada era o aceitável, era o que todos faziam e funcionava. Hoje não mais, qualquer pessoa que possa ler, ver ou ouvir é bombardeada por uma série de propagandas durante o dia e a maioria delas passa despercebida. Para que sua marca seja guardada na cabeça do seu público alvo, é preciso fazer diferente. Uma ótima maneira de fazer isso é contanto histórias.

Contar histórias faz com que marcas ganhem credibilidade, que o cliente agregue mais do que produtos e serviços, mas que associe sentimentos à sua marca. É possível aplicar conceitos de construção de histórias na hora de iniciar um projeto ou proposta para posicionar sua marca.

Como histórias são criadas?

De onde surgem as histórias

Não é difícil perceber de onde surgem as histórias. Diariamente, em rodas de amigos ou reuniões de trabalho, repare que pessoas estão sempre contanto histórias e isso faz com que entretenham umas às outras. Perceba que sua empresa também tem uma história, lembre de como ela nasceu, qual era seu propósito, o que ela teria de diferente em relação às tantas outras empresas que motivou a construção dessa marca.

Essas histórias fazem parte da identidade da empresa e quando bem contadas, podem criar laços a partir da identificação de valores em comum do cliente com a marca, isso faz com que eles sintam-se acolhidos e se aproximem da sua marca.

Mas é claro que só contar a história não é o suficiente. 

Quando você conta histórias para seus amigos, você não simplesmente fala mantendo o mesmo tom durante toda a conversa. Com sua marca não há como ser diferente, diversas situações exigem diversos formatos para que o sentimento seja transmito com êxito ao receptor.

Comece escolhendo o formato, seu público irá receber sua mensagem através de um formato off-line, on-line ou nos dois? Cada um possui suas vantagens e desvantagens e é importante analisa-las com cautela. Uma vez que o formato já tenha sido escolhido, exercite a narrativa do conto. Adicione elementos que darão enredo a sua história, que façam com que o receptor sinta-se dentro da situação. Que ele se enxergue dentro daquilo e então perceba que aquela marca traz soluções para os seus problemas.

Entenda os conceitos da narrativa antes de aplica-los

Toda história é construída por alguns conceitos-chave: objetivo, obstáculo, desastre ou reflexão, dilema e decisão.

Então antes de dar forma a sua história, aprenda o conceito de cada um deles para que no fim você consiga uma história bem estruturada que trabalhe a seu favor, transmitindo mensagens de forma fácil sem fazer com que seu público precise quebrar a cabeça.

O objetivo é onde o nosso personagem quer chegar. Qual objeto de valor ele precisa recuperar, quem ele precisa salvar. Uma empresa que vende marmitas fit deseja alimentar a todos de forma saudável, um consultório médico precisa descobrir os problemas de saúde dos seus pacientes e resolve-los para manter suas vidas a salvo.

O obstáculo é a barreira que impede que nosso personagem atinja seu objetivo e que também precisa fazer parte da historia pois essa é parte de superação. Os concorrentes que vendem junk food, os remédios caseiros que resolvem o problema de forma comedida e impedem que pacientes procurem um médico. Descubra quais são as barreiras, descubra quem são os vilões da história.

Quando um desastre ou reflexão aparecer, não se desespere. Esses são pontos essenciais para que haja uma virada na história, quando o personagem finalmente consegue passar a barreira para atingir seu objetivo ou algo parecido.

Mantenha-se paciente ao recordar os desastres, pois a seguir, os dilemas aparecem. Uma proposta que precisa ser avaliada ou novas parcerias que surgem e em seguida, as decisões precisam ser tomadas.

Esses são os pontos da história que você pode começar a andar em círculos, sem saber exatamente o que fazer, criar caminhos para superar os obstáculos e atingir seus objetivos.

Os conceitos citados acima não precisam aparecer nessa mesma ordem ou sequer na mesma quantidade, analise quais deles fazem com que sua história se torne mais valiosa e então os use mais vezes.

Transforme sua empresa em um herói. 

O vídeo a seguir explica todos os passos dessa jornada, tire uns minutinhos para assiti-lo porque vale a pena.

Se o personagem principal da história da sua marca é o herói, é preciso conhecer sua personalidade e como posicionar sua marca. Os arquétipos vieram da psicanálise para a comunicação e são características que em todo o mundo é possível identificar e compreender.

Mas repare que arquétipos não são estereótipos, eles, como nós, são atemporais. Falham, tentam novamente e finalmente conseguem, é preciso que isso aconteça para que o personagem se torne mais humano, personagens perfeitos não estabelecem conexões verdadeiras e acabam caindo no esquecimento.

Tem alguma dica ou algum case que acha importante compartilhar? Sinta-se à vontade para se juntar à nós nos comentários ❤️

 

Comentários

comentários

Enviado por Daniel Henrique

Publicitário pela Universidade Regional de Blumenau. Coordenador de conteúdo na Spitze Network.